quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Regeneração e cicatrização

A cicatrização e regeneração não são processos degenerativos, nem neoplásicos, logo têm de
ser enquadrados no processo inflamatório. Quando se inicia um processo inflamatório, que é
sempre um mecanismo de defesa contra um agente agressor, simultaneamente, também se dá
início aos mecanismos desencadeadores de cicatrização e regeneração.
Nos casos da pneumonia (inflamação), corte na pele (trauma seguido de inflamação) ou um
enfarte do miocárdio (necrose isquémica seguida de inflamação), o processo envolvido é
comum: inflamação, embora o agente agressor não seja o mesmo. Mas a inflamação vai
evoluir de forma distinta, no que diz respeito à regeneração e à cicatrização.


Se um corte na pele, vai levar a cicatriz, ou não, depende da extensão da lesão. Um corte
superficial na pele, em geral não leva à cicatrização, o mesmo não acontece num corte mais
profundo.


Já o enfarte do miocárdio leva sempre à cicatrização.

Assim, outro ponto importante da cicatrização (para além da extensão) é o órgão, o tipo de
células que o constitui.


A reparação processa-se de duas formas:

  • Regeneração
  • Cicatrização


O que vai depender para que uma reparação se processe por regeneração ou cicatrização, é:

  • extensão da lesão
  • Órgão lesado

Morte celular ---->Reparação

Reparação: Ocorre a Regeneração ou a cicatrização

Regeneração -
Processo pelo qual as células que
morreram, devido à agressão, são
substituídas pelas células do
parênquima do mesmo órgão

Cicatrização -
Processo em que as células
lesadas não são substituídas por
células parenquimatosas, mas
por tecido fibroso: cicatriz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário